PIB do México caiu em 2019. Resultado da Pemex despencou.

Compartilhe

O PIB do México caiu 0,1% em 2019, o pior resultado em uma década.  No quarto trimestre de 2019, a economia contraiu 0,3% em relação ao mesmo período de 2018. Para 2020, o Banco Mundial ajustou sua estimativa de crescimento para o México de 2% para 1,2%. Enquanto o Fundo Monetário Internacional (FMI) mudou sua estimativa de 1,3% para 1%.

 

Agora com os efeitos na economia global do corona vírus, estas previsões devem ser menores. Já a agência de classificação de risco Moody’s disse que a contração da economia mexicana tem efeitos negativos em sua nota soberana e reflete o sentimento adverso dos investidores. Em junho do ano passado, outra agência de risco, a Fitch Ratings, reduziu o rating da dívida soberana do México, dizendo que o deteriorado perfil de crédito da petrolífera estatal Petróleos Mexicanos (Pemex) pesa sobre as finanças do governo, enquanto a economia está com baixo desempenho.

 

A queda do PIB em 2019 se deu principalmente em petróleo, construção civil e algumas atividades da indústria. A queda na produção de petróleo e dos investimentos em exploração e produção (E&P) é a foto mais clara deste desempenho. O México já produziu cerca de 3,5 milhões de barris por dia. Hoje produz um pouco mais da metade deste valor. Desde o início dos anos 2000 vinha em um crescente em investimentos em E&P. Estagnou ano passado a valores de 2005.

 

E por trás destes resultados negativos em petróleo e gás natural no México está a estatal Pemex. Em 2019, a Pemex registrou uma perda líquida de US $ 18,3 bilhões. Os resultados sombrios da empresa marcam um dos piores desempenhos financeiros anuais. E não foi fatores externos que motivaram este prejuízo. Refinarias antigas operando a baixas capacidades, baixos investimentos em E&P que poderiam monetizar suas reservas, número de funcionários muito acima das empresas privadas suas concorrentes, são alguns dos fatores internos que resultaram na perda líquida em 2019.

 

E mais, a Pemex está investindo em uma nova refinaria, negócio que tem margem muito mais apertada que o negócio de E&P, bem mais rentável. A produção de petróleo bruto da Pemex em 2019 teve uma média de 1,68 milhão de barris por dia (bpd), menos da metade dos 3,4 milhões de bpd que a empresa bombeava em 2004 e caiu cerca de 7% em relação aos níveis de 2018. A Pemex é uma importante produtora e petroquímicos no México. E neste negócio a queda na produção também se consolidou em 2019.