Eficiência energética: o recurso de eficiência excede em muito a soma das economias de tecnologias individuais.

Compartilhe

Quem diz (e prova) isto?  O renomado especialista em energia americano Amory Lovins. Além de ser co-fundador e cientista-chefe do Rocky Mountain Institute, Lovins  atua como consultor de energia para grandes empresas e governos em todo o mundo. Lovins está entre os principais especialistas do mundo em energia e pensamento integrado. Sua experiência destaca o que precisamos saber e fazer para acelerar e otimizar a transição energética que já está em andamento.

 

No artigo intitulado “Qual é o tamanho do recurso da eficiência energética?”, publicado em 18 de setembro de 2018, Lovins mostra que o potencial de eficiência energética tem sido massivamente subestimado e seu custo exagerado. Diz ele: “Se continuarmos analisando não edifícios, veículos e fábricas inteiros, mas apenas suas partes individuais, perderemos assim maneiras valiosas de ajudar as peças a trabalharem juntas para economizar mais energia a um custo menor“.

 

E continua”Da mesma maneira que ninguém esperava que os custos de energia solar e eólica caíssem, impulsionando uma adoção mais rápida que reduz ainda mais seus custos“. Explicou Lovins, “negligenciamos a capacidade da eficiência energética moderna de fazer a mesma coisa“. O seu artigo cita fortes evidências empíricas de que o alcance da eficiência energética é na verdade várias vezes maior e mais barato do que se pensava anteriormente. O texto destaca a importância do “design integrativo” como uma chave para desbloquear ganhos de eficiência energética sem precedentes.

 

Quer saber mais? Os resultados estão disponíveis gratuitamente e publicados em  http://iopscience.iop.org/article/10.1088/1748-9326/aad965 e disponíveis em vídeo. Vale a pena ler.