A importância da criação e implantação do conselho consultivo em empresas familiares.

Compartilhe

por João Prates (51 9122 4402)

Consultor do Instituto Sucessor  – www.sucessor.com.br 

 

Instituir um Conselho Consultivo é uma medida que sinaliza a boa governança, pois trata-se de um órgão importante em um processo de transição em empresas familiares. O sistema de governança está presente nas corporações para regular a maneira como são dirigidas, administradas e controladas. A principal preocupação é reduzir conflitos de interesses e assimetria de informação, problemáticas comuns entre sócios e gestores.

 

Cabe a família empresária ter a atitude de instituir um conselho. Esse, com base na estrutura de governança criada e sistema de gestão instituído, para então propiciar a mudança da cultura decisória da organização, contribuindo assim para a profissionalização da empresa.

 

Esse conselho consultivo é essencial para as tomadas de decisões, na medida em que estabelece um norte para os gestores com emissão de parecer com recomendações, em especial, quando há membros gestores da família atuando na empresa. O conselho contribuirá com decisões mais racionais e confiáveis, validando um planejamento estratégico com melhor eficácia, mitigando riscos, pois deverá estar em consonância com os interesses dos sócios em relação ao futuro da empresa. Cabe destacar que, em caso de Conselho de Administração, obrigatório em empresas de capital aberto, os conselheiros têm responsabilidades diante das deliberações.

 

No sistema de governança é imprescindível a atuação do conselho, o qual deverá considerar os princípios de transparência, equidade, conformidade e prestação de contas.

 

Como toda a mudança, o processo de criação e implantação do conselho nas empresas familiares poderá passar por resistências. Entretanto, as mudanças fazem parte da vida e com elas emergem os ganhos. Assim ocorre com a implantação do conselho, o que repercutirá em ganhos em termos de: aprimoramento nas relações de negócios familiares, nas relações internas da empresa e no mercado.

 

Quanto a composição do conselho, deve-se ressaltar a importância da seleção dos conselheiros independentes, pois é necessário observar o perfil não só técnico tendo vasta experiência enquanto executivo, mas principalmente comportamental. O conselheiro deve estar alinhado com os valores e princípios da família empresária, facilitando a dinâmica das reuniões para a construção do vínculo com credibilidade, obtendo assim um profissional conselheiro que realmente contribua.

 

João Prates – Consultor